Arquivo

Textos com Etiquetas ‘ubuntu’

Bloqueando extensões nos diretórios do Samba

4, janeiro, 2013 Lucas Catani 1 comentário

Quem administra redes heterogêneas com servidores de arquivo Linux e estações Windows, já deve ter percebido a presença de arquivos “suspeitos” no compartilhamento do servidor.

Arquivos do tipo, .bat, .inf, .exe, que apesar de não oferecerem ricos ao servidor Linux, podem prejudicar as estações Windows.

Um modo de impedir que esses arquivos sejam gravados no servidor, é setando o parâmetro “veto files” na configuração do Samba.

Para isso, adicione as linhas a seguir no arquivo /etc/samba/smb.conf

#Define quais extenções serão vetadas (não serão gravadas)
veto files = /*.exe/*.bat/*.cmd/*.nds/*.pif/*.com/*.scr/*.exe/*.dll/*.msp/*.msi/*.msu/*.ini/*.inf/*.jad/*.jar/*.reg/*.vbs/*.dat/*.cab/

Além disso, o “veto files” também pode ser útil caso queira proibir determinadas extensões em diretórios específicos ou em todos diretórios do servidor. Como no caso de empresas aonde é proibido por exemplo, colocar MP3 e vídeos no compartilhamento.

Fonte e direitos autorais: http://www.sysadmin.eti.br

Modificando local do log do isc-dhcp-server

29, novembro, 2012 Lucas Catani 2 comentários

Os logs do dhcp, são gravados no principal arquivo de logs do sistema, como por exemplo:
/var/log/syslog ou /var/log/messages.

Para separarmos os logs e facilitarmos a leitura podemos alterar o caminho dos logs do serviço isc-dhcp-server.

Edite seu arquivo /etc/dhcp/dhcpd.conf e adicione uma linha no inicio do arquivo:

log-facility local7;

Agora vamos apontar para onde queremos escrever os logs.

Edite o arquivo /etc/rsyslog.conf
Adicione a linha ao final do arquivo:

local7.* /var/log/dhcpd.log

Nessa linha apontamos os logs do dhcp para o arquivo /var/log/dhcpd.log
Lembrando que o local dos logs pode ser escolhido pelo usuário.

Agora é só reiniciar o isc-dhcp-server e o rsyslog

service isc-dhcp-server restart

service rsyslog restart

Pronto!

Fonte: http://eavanzo.blogspot.com.br

Montando o disco LVM usando um Ubuntu Live

12, setembro, 2012 Lucas Catani Sem comentários

Em primeiro lugar ache qualquer distribuição live que você goste, eu utilizarei para o exemplo o Ubuntu. Mas se você for utilizar outra distribuição será parecido, a exceção da manipulação dos pacotes.

Então vamos ao que realmente interessa:

Com o Linux rodando (o live linux lembra?), digite
sudo –s
apt-get install lvm2

Se não tiver reconhecido a rede você pode procurar no cd/usb pelo pacote e instalar manualmente.
Para ter certeza que o disco foi reconhecido
sfdisk –l
Depois disso vamos rodar o pvscan para procurar em todos os disco por volumes físicos. Com isto teremos certeza que o disco LVM foi detectado.
pvscan
O resultado será como abaixo.

PV /dev/sdb2 VG VolGroup02 lvm2 [465,66 GB / 0 free]
PV /dev/sda2 VG VolGroup01 lvm2 [7,41 GB / 0 free]
Total: 2 [473,06 GB] / in use: 2 [473,06 GB] / in no VG: 0 [0 ]

Agora iremos rodar o vgscan para procurar por volume groups.
vgscan

Reading all physical volumes. This may take a while…
Found volume group “VolGroup02″ using metadata type lvm2
Found volume group “VolGroup01″ using metadata type lvm2

Hora de ativar todos os volumes disponíveis.
vgchange –a y

2 logical volume(s) in volume group “VolGroup02″ now active
2 logical volume(s) in volume group “VolGroup01″ now active

E o último passo é rodar o lvscan para procurar volumes lógicos. Você verá as partições ativas dentro do HD.
lvscan

ACTIVE ‘/dev/VolGroup02/LogVol00′ [463,69 GB] inherit
ACTIVE ‘/dev/VolGroup02/LogVol01′ [1,97 GB] inherit
ACTIVE ‘/dev/VolGroup01/LogVol00′ [5,44 GB] inherit
ACTIVE ‘/dev/VolGroup01/LogVol01′ [1,97 GB] inherit

O último passo é criar o ponto de montagem, e montar os discos.
mkdir /media/disk0
mkdir /media/disk1
mount /dev/VolGroup00 /media/disk0
mount /dev/VolGroup01 /media/disk1

Pronto com isso já podemos utilizar os discos normalmente e mexer com os dados, pacotes e arquivos que quisermos.

Obs.: Quando fui mexer com os HDs tive um problema por ter utilizado o particionamento padrão do CentOS. Quando dei o comando pvscan os dois HD possuiam o volume group igual. Com isso não daria para usar os dois ao mesmo tempo. Se você tiver esse problema faça o seguinte:

Rode o comando vgdisplay para descobrir o UUID de cada volume group.
vgdisplay
Agora vamos rodar o comando vgrename para alterar o nome de um deles. O UUID que utilizarei aqui é apenas um exemplo, altere conforme a sua necessidade.
vgrename uUUSjr-mTzO-XSYW-2jlC-aAL3-QcuX-nODtu9 VolGroup00

Pronto agora quando seguir o procedimento a partir do terceiro (ou seria quarto) passo, tudo dará certo. Só não esqueça de no final do processo, desmontar o HD e alterar o nome do volume group para o nome original, que no meu caso era VolGroup01, para que a inicialização ocorra normalmente, senão durante o processo do boot você recebera a mensagem de Kernel Panic.

Todos os créditos para Luciano Santos. Essa matéria foi retirada do blog http://luciano.wordpress.com/2010/08/16/usando-um-live-cd-para-montar-parties-lvm/#comment-922

Categories: Linux Tags: , , , , , ,

Pesquisar por uma string recursivamente no Linux

31, agosto, 2012 Lucas Catani Sem comentários

Para pesquisar por um expressão ou string dentro de todos os arquivos do sistema digite:

cd /
find . -type f -exec grep -l "string" {} +

Versões mais antigas de sistemas baseados em unix podem usar o comando xargs, para acelerar o processo

find / -type f | xargs grep -l "string"

Se quiser pesquisar o conteúdo dos arquivos somente dentro de determinada pasta

cd /pasta
find . -type f -exec grep -l "string" {} +

Fonte: Cyberciti