Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Linux’

Bloqueando extensões nos diretórios do Samba

4, janeiro, 2013 Lucas Catani 1 comentário

Quem administra redes heterogêneas com servidores de arquivo Linux e estações Windows, já deve ter percebido a presença de arquivos “suspeitos” no compartilhamento do servidor.

Arquivos do tipo, .bat, .inf, .exe, que apesar de não oferecerem ricos ao servidor Linux, podem prejudicar as estações Windows.

Um modo de impedir que esses arquivos sejam gravados no servidor, é setando o parâmetro “veto files” na configuração do Samba.

Para isso, adicione as linhas a seguir no arquivo /etc/samba/smb.conf

#Define quais extenções serão vetadas (não serão gravadas)
veto files = /*.exe/*.bat/*.cmd/*.nds/*.pif/*.com/*.scr/*.exe/*.dll/*.msp/*.msi/*.msu/*.ini/*.inf/*.jad/*.jar/*.reg/*.vbs/*.dat/*.cab/

Além disso, o “veto files” também pode ser útil caso queira proibir determinadas extensões em diretórios específicos ou em todos diretórios do servidor. Como no caso de empresas aonde é proibido por exemplo, colocar MP3 e vídeos no compartilhamento.

Fonte e direitos autorais: http://www.sysadmin.eti.br

Montando o disco LVM usando um Ubuntu Live

12, setembro, 2012 Lucas Catani Sem comentários

Em primeiro lugar ache qualquer distribuição live que você goste, eu utilizarei para o exemplo o Ubuntu. Mas se você for utilizar outra distribuição será parecido, a exceção da manipulação dos pacotes.

Então vamos ao que realmente interessa:

Com o Linux rodando (o live linux lembra?), digite
sudo –s
apt-get install lvm2

Se não tiver reconhecido a rede você pode procurar no cd/usb pelo pacote e instalar manualmente.
Para ter certeza que o disco foi reconhecido
sfdisk –l
Depois disso vamos rodar o pvscan para procurar em todos os disco por volumes físicos. Com isto teremos certeza que o disco LVM foi detectado.
pvscan
O resultado será como abaixo.

PV /dev/sdb2 VG VolGroup02 lvm2 [465,66 GB / 0 free]
PV /dev/sda2 VG VolGroup01 lvm2 [7,41 GB / 0 free]
Total: 2 [473,06 GB] / in use: 2 [473,06 GB] / in no VG: 0 [0 ]

Agora iremos rodar o vgscan para procurar por volume groups.
vgscan

Reading all physical volumes. This may take a while…
Found volume group “VolGroup02″ using metadata type lvm2
Found volume group “VolGroup01″ using metadata type lvm2

Hora de ativar todos os volumes disponíveis.
vgchange –a y

2 logical volume(s) in volume group “VolGroup02″ now active
2 logical volume(s) in volume group “VolGroup01″ now active

E o último passo é rodar o lvscan para procurar volumes lógicos. Você verá as partições ativas dentro do HD.
lvscan

ACTIVE ‘/dev/VolGroup02/LogVol00′ [463,69 GB] inherit
ACTIVE ‘/dev/VolGroup02/LogVol01′ [1,97 GB] inherit
ACTIVE ‘/dev/VolGroup01/LogVol00′ [5,44 GB] inherit
ACTIVE ‘/dev/VolGroup01/LogVol01′ [1,97 GB] inherit

O último passo é criar o ponto de montagem, e montar os discos.
mkdir /media/disk0
mkdir /media/disk1
mount /dev/VolGroup00 /media/disk0
mount /dev/VolGroup01 /media/disk1

Pronto com isso já podemos utilizar os discos normalmente e mexer com os dados, pacotes e arquivos que quisermos.

Obs.: Quando fui mexer com os HDs tive um problema por ter utilizado o particionamento padrão do CentOS. Quando dei o comando pvscan os dois HD possuiam o volume group igual. Com isso não daria para usar os dois ao mesmo tempo. Se você tiver esse problema faça o seguinte:

Rode o comando vgdisplay para descobrir o UUID de cada volume group.
vgdisplay
Agora vamos rodar o comando vgrename para alterar o nome de um deles. O UUID que utilizarei aqui é apenas um exemplo, altere conforme a sua necessidade.
vgrename uUUSjr-mTzO-XSYW-2jlC-aAL3-QcuX-nODtu9 VolGroup00

Pronto agora quando seguir o procedimento a partir do terceiro (ou seria quarto) passo, tudo dará certo. Só não esqueça de no final do processo, desmontar o HD e alterar o nome do volume group para o nome original, que no meu caso era VolGroup01, para que a inicialização ocorra normalmente, senão durante o processo do boot você recebera a mensagem de Kernel Panic.

Todos os créditos para Luciano Santos. Essa matéria foi retirada do blog http://luciano.wordpress.com/2010/08/16/usando-um-live-cd-para-montar-parties-lvm/#comment-922

Categories: Linux Tags: , , , , , ,

Pesquisar por uma string recursivamente no Linux

31, agosto, 2012 Lucas Catani Sem comentários

Para pesquisar por um expressão ou string dentro de todos os arquivos do sistema digite:

cd /
find . -type f -exec grep -l "string" {} +

Versões mais antigas de sistemas baseados em unix podem usar o comando xargs, para acelerar o processo

find / -type f | xargs grep -l "string"

Se quiser pesquisar o conteúdo dos arquivos somente dentro de determinada pasta

cd /pasta
find . -type f -exec grep -l "string" {} +

Fonte: Cyberciti

Instalando e configurando o Firebird no Linux

6, abril, 2010 Lucas Catani 4 comentários

Nesse post vamos aprender a instalar e configurar facilmente o Firebird no Linux. Este tutorial eu adaptei do site VivaoLinux. Abaixo seguem todos os passos para a fácil instalação do Firebird, que gera muita dor de cabeça aos marinheiros de primeira viagem.

Para começar

Para o modo como instalaremos o Firebird, o seu Linux precisa ter instalado a biblioteca libstdc++5.

Clique aqui para fazer o download(versão .deb).

Após fazer o download é só dar um duplo clique no arquivo e depois clicar em “INSTALAR PACOTE”.

Modo alternativo:
Se você usa Ubuntu, Debian ou derivados, digite num terminal:

$ sudo apt-get install libstdc++5

Se você usa uma distribuição baseada em pacotes RPM (como OpenSUSE, Fedora e outras), terá que instalar o pacote compat-libstdc++. Na maioria das distribuições RPM você instala assim:

$ sudo yum install nome_do_pacote_rpm

Baixando e instalando o Firebird

Acesse o site firebirdsql.org e depois clique em “Download Firebird 2.1.2″ (versão que estiver disponível no momento).

a

Agora você selecionará o sistema operacional. No caso (Linux x86).

linux

E agora, qual dos dois devo instalar?Super Server ou Classic Server? Para saber digite num terminal:

$ getconf GNU_LIBPTHREAD_VERSION

Se a resposta for NPTL 2 qualquer coisa, baixe o pacote marcado na figura com um retângulo vermelho, mas se na resposta não aparecer NPTL, baixe o pacote marcado na figura com uma elipse vermelha.

Digamos que você baixou o pacote escolhido na pasta Downloads do seu usuário, então num terminal digite os comandos:

$ cd /home/nomedousuario/Downloads
$ tar -xzf FirebirdSS*.tar.gz
$ cd FirebirdSS*
$ sudo ./install.sh

*Onde tiver o * você clicará na tecla TAB, para o Linux autocompletar o nome.

Depois deste último comando o instalador pede uma confirmação, tecle Enter e depois você precisará digitar uma senha para o administrador padrão SYSDBA. Geralmente a senha é “masterkey” .

Depois de digitar a senha e teclar Enter a instalação termina.Mais uma configuração. Agora vamos usar o nome do usuário logado no sistema que sempre tem um grupo de usuários com o mesmo nome. Digamos que seja lucas. Num terminal digite os seguintes comandos:

$ sudo adduser firebird firebird
$ sudo adduser firebird lucas

- O primeiro comando adiciona um usuário firebird que irá pertencer ao grupo firebird.

- O segundo comando adiciona o usuário firebird ao grupo lucas.Agora aprenderemos como configurar uma pasta para guardarmos os bancos criados. Digamos que no seu diretório de usuário você tenha criado uma pasta chamada bancos ( /home/lucas/bancos) . Se você já tiver bancos criados copie-os para a pasta criada. Agora, num terminal, digite o comando abaixo (estou usando como exemplo o usuário luca):

$ sudo chown -R firebird:lucas /home/lucas/bancos

- O comando chown altera o proprietário do diretório.

Se você quiser usar outra(s) pasta(s) basta alterar o caminho no comando acima.Obs.: Instalando assim o Firebird fica muito mais bem configurado do que instalando dos repositórios das distribuições Linux. Por exemplo, automaticamente já são criados vários links simbólicos para compatibilização com programas que usam versões anteriores do Firebird ou o InterBase no Linux.

Reinicie o computador.

Até aqui eu modifiquei um tutorial para o melhor entendimento, abaixo segue um de minha autoria.

Iniciando o Firebird junto com o sistema

Para iniciar o firebird ao iniciar o sistema, é necessário instalar um pacote chamado RCCONF.

Para isso abra o console e digite sudo apt-get install rcconf

Após confirmar a instalação é só digitar no console sudo rcconf

Abrirá uma janela com os programas iniciados com linux. Marque a opção firebird e depois tecle em OK.


Reinicie o computador

Criando um alias para um banco do Firebird

Após instalar o banco e configurar sempre é interessante criar um alias para acessar o banco de uma outra máquina ou mesmo local.

Para criar um alias o procedimento é simples. O arquivo que contém os alias do firebird chama-se “aliases.conf”, e está localizado na pasta /opt/firebird/.

Esse arquivo por default está como somente leitura. Então vamos fazer o seguinte

Abra o console e digite: sudo nautilus — browser

Abrirá uma janela para você explorar o seu computador. Vá até a pasta /opt/firebird e clique com o botão direito sobre o arquivo “aliases.conf”, abra a aba permissões marque as opções leitura e escrita para todos os tipos de usuários como a figura abaixo.

Permissões

Após mudar as permissões do arquivo você pode fechar tudo o que estiver aberto.

No próximo passo vamos configurar o arquivo em sí.

Abra o console e digite sudo gedit /opt/firebird/aliases.conf

Pronto, o arquivo estará aberto no editor de texto gedit e pronto para edição. A sintaxe do arquivo de alias é muito simples:

nomedoalias=/local/nomedobanco

Abaixo segue o exemplo:

# ——————————
# List of known database aliases
# ——————————

#
# Example Database:
#
employee.fdb = /opt/firebird/examples/empbuild/employee.fdb
employee = /opt/firebird/examples/empbuild/employee.fdb

#
# Live Databases:
#
bancodolucas=/Dados/Bancos/BANCO.FDB

Após alterar e salvar o arquivo o seu alias estará pronto para o uso.

Iniciando ou parando o Firebird

Para iniciar o firebird o comando é sudo /etc/ini.d/firebird start

Para parar o firebird o comando é sudo /etc/ini.d/firebird stop

Alguns sistemas suportam os comando

Iniciar: sudo service firebird start

Parar: sudo service firebird stop

Esté é meu primeiro tutorial. Espero ter ajudado alguém!